A flor de lótus, para os budistas, é considerado uma flor sagrada, um símbolo da habilidade de cada ser humano em superar suas condições, não importa sua origem, como a flor de lótus que cresce alto acima das águas turvas. A flor de lótus é diferente de qualquer outra flor pois cresce em condições difíceis, cercada por lama debaixo da água. O lótus parece ser frágil, mas é flexível e forte.

E o uso de fibras de lótus para fabricar tecidos é comum em países como: a Tailândia ou Myanmar. Essas fibras têm sido usadas há séculos para fazer tecidos. O processo é demorado, mas produz um tecido luxuoso, com uma aparência de seda e linho. Depois de colher as plantas de lótus dos lagos, corta-se o final das hastes e puxa as fibras longas e finas do centro. Tendo que ser feito em até três dias após a colheita. Os fios são então lavados, pendurados para secar e finalmente tecidos à mão, em teares manuais. Por ser um processo manual, demorado e complicado, o custo do tecido é maior do que de fios de algodão tradicionais, por exemplo.

A empresa indiana NoMark criou uma camisa branca orgânica feita das hastes de lótus. A camisa além de bonita e sob medida, conta com tecnologia hidrofóbica, que repele líquidos e manchas. A empresa utiliza o tecido de lótus produzido no Camboja, um dos tecidos mais ecológicos do mundo, pois não usa recursos como petróleo, eletricidade, gás ou qualquer produto químico tóxico durante seu processo de produção. Além disso, a camisa NoMark Lotus dura muitos anos porque seu tecido é de alta qualidade e não precisa ser lavado com tanta frequência.

A Samatoa Lotus Textiles, no Camboja, é uma empresa têxtil com foco nos valores do comércio justo e desenvolvimento sustentável para criar uma alternativa à poluente indústria têxtil tradicional. Utilizando técnicas de fabricação socialmente responsáveis, ainda apoiam o empoderamento de mulheres das pequenas aldeias cambojanas, dando-lhes condições para viver decentemente. Os tecidos são feitos de maneiras tradicionais e a empresa durante 10 anos, tem utilizado mais de 10 fibras naturais locais como: lótus, abacaxi, banana, lírio, kapok, papiro, palma, seda, coco, jacinto de água e folhas de arroz.

Fabricando tecidos mais sustentáveis e inovadores, desde 2003, a Samatoa foi reconhecida em 2012 pelo Prêmio UNESCO de excelência. A empresa é responsável pelos processos de fabricação do início ao fim, do fio ao produto acabado, sem intermediários. Assim podem assegurar a qualidade de todos seus produtos.

Os tecidos de lótus, seda, kapok e banana estão se tornando cada vez mais populares entre os designers internacionais de moda ética e indústrias de luxo. As fibras de lótus são versáteis e têm muitas vantagens em comparação com tecidos mais convencionais. O preço relativamente alto é a única desvantagem, mas para quem busca roupas duradouras, com qualidade e ecologicamente corretas, vale a pena o investimento.

Fonte: StyloUrbano

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *