Nomeada pelo ator Viggo Mortensen, no set de “O Senhor dos Anéis”, e criada pelo cenógrafo Horsham Kayne, a malha Kaynemail fazia parte das armaduras do elenco do filme. Depois de tecer milhões de anéis para formar as armaduras dos personagens da trilogia, o cenógrafo resolveu utilizar a mesma técnica para dividir e proteger os interiores e exteriores de edifícios com uma malha de policarbonato reciclado.

A malha de plástico reciclado foi patenteada e já está sendo usada por arquitetos e designers. A malha de plástico não possui costura, é feita por meio de um processo de moldagem por injeção, criando um “tecido” constituído por milhares de anéis sólidos sem juntas. O Kaynemaile pode ser produzido com tamanho ilimitado e utilizando uma ampla variedade de cores.

O tecido de plástico é feito a partir de policarbonato reciclável. Resistente aos raios UV, ao fogo e quase impossível de sofrer danos. A malha de plástico reciclado é leve, forte e não derreterá ou quebrará em condições climáticas adversas. Sendo que os metais podem corroer ou oxidar, o kaynemaile se mantém resistente à tração. Mais forte e mais leve do que o vidro, o tecido pesa apenas 3 kg por metro quadrado, tornando-o uma escolha perfeita para fachadas de edifícios e decoração interior. É excelente para uso na “arquitetura têxtil” e “arquitetura cinética”, tornando a arquitetura mais “fashionista” e sustentável.

A malha vem sendo muito utilizada em todo o mundo, como: aeroportos, fachadas de edifícios, divisórias interiores e objetos de design. Como pode ser utilizado tanto no interior como exterior, o material funciona como um protetor contra vento e chuva devido à sua densidade transversal. Mas ao mesmo tempo, a malha permite que o ar circule no prédio deixando o ambiente fresco, ideal para lugares quentes.

Essa “armadura de arquitetura” pode também controlar e diminuir o nível de luz num edifício em 75%. Feita do mesmo material que os capacetes dos astronautas, é super-resistente.

Segundo a empresa, a malha arquitetônica é 100% reciclável, com um método de produção de lixo zero, com uma durabilidade esperada de 20 anos e garantia de 10 anos. Além de ser reciclável, o material é sustentável pois gasta apenas 1/8 da energia necessária para criar uma malha de metal. Uma inovação no mundo têxtil, do design e arquitetônico.

Confira um vídeo da montagem da malha em uma instalação arquitetônica: 

 

Fonte: StyloUrbano

About the author

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *